Tag Archives: arte

Araripe

Algumas palavras-chaves sobre a Chapada do Araripe…

Sertão nordestino, cultura, arte, caatinga, cerrado, Flona Araripe-Apodi, Fundação Casa Grande, movimento juvenil, educação não-formal, Nova Olinda, arqueologia, Homem Kariri, pintura rupestre, Padre Cícero, Juazeiro do Norte, romarias, religiosidade, Lira Nordestina, xilogravuras, Mestre Noza, Santana do Cariri, fósseis, Geoparque do Araripe, história natural, Crato, Pontal, Assaré, Patativa, Pontos de Cultura, Exu, Luiz Gonzaga, Barbalha, engenhos de rapadura, aves, mitos …

Santana do Cariri

Santana do Cariri

Região rica em relevo e história natural, única no mundo a ponto de ter o primeiro Geoparque brasileiro, ou seja, ser designada à proteção da geodiversidade: fósseis, relevo, rios, pinturas rupestres…

Pontal

Pontal

Região que tem, coincidentemente, a primeira Floresta Nacional (FLONA) do país, também uma área de proteção da biodiversidade, onde a caatinga, o cerrado e a mata-atlântica se encontram.

Em Nova Olinda / CE, uma das cidades do nosso roteiro, conhecemos a Fundação Casa Grande, exemplo de educação não-formal de jovens, centro irradiador de cultura e de desenvolvimento humano no sertão. A Fundação Casa Grande é uma referência em Turismo Comunitário, muito bem estruturada, permite que o visitante se aproxime intensamente da vida local, hospedando-se na casa das mães dos jovens que participam do projeto deixando de ser um mero espectador, participando do dia a dia destas pessoas que nos convidam a conhecer sua cultura, culinária, artesanato, cotidiano … e hospitalidade.

Fósseis do Araripe
Fósseis do Araripe – DNPM -Crato

Museu Homem do Cariri

Museu da Fundação Casa Grande
Anúncios

Barbados


Comunidade de Barbados: início de um contato promissor com a comunidade local, formada basicamente por pescadores que ainda preservam sua rica cultura.

Localizada no  Estuário de Paranaguá, estado do Paraná: a região tem avifauna única com bandos de papagaios chauás considerados em extinção [Amazona rhodocorytha], ninhal de biguás, colhereiros (contei 10 deles), Martim-pescadores. Os botos também sempre estão por lá, personagens indispensáveis nesse roteiro

Canoa de madeira, sotaque característico da região que combina muito bem com o Fandango cantado por artista de capa de livro, com rabeca feita de ‘pau’ de caxeta e araribá (!!!), e cataia, muita cataia.

O calor durante o verão é forte, altas temperaturas e altíssima umidade … resultando em noites com belas tempestades de raios.


 

Barbados reserva algumas surpresas, como o legado artístico do suíço Wilhelm Michaud que trocou Vevey pelo Superagui por volta de 1850. Suas pinturas e gravuras retratam uma época que muito mudou, num lugar que pouco mudou.