Fotos preto e branco

Preto e branco, ou PxB ou B&W, ou no computador, os tons de cinza. Sim, tons de cinza, nada de preto ou branco, na verdade entre o preto e o branco. Parafraseando um professor, “o cinza é um preto claro, ou um branco escuro?” o resto do que ele disse é censurado aqui no blog.

Hayvrichim :: Israel ::

A questão toda é a grande mistura dessa, técnica, ou mesmo método de fotografar. O que foi o inicio da arte, pin-hole, soluções de sulfetos e nitratos em placas de vidro, papel, filtros vermelhos, amarelos… Tudo isso era um processo químico. Depois desenvolvido para ser fotossensível a luz e cores…

nascer do sol no mangue :: Maranhão :: Brasil

Hoje temos algo diverso, mas para fazer a mesma coisa (o famoso ‘igual,mas diferente’). A imagem é captada por física, os pixels, também fotossensíveis e honestamente não entendo muito disso.

Sei que tiro todas as fotos (coloridas) e as modifico depois, nos fotocropshops da vida, mas o significante disso tudo, é que para amadores e entusiastas  não precisar mais medir temperatura de soluções, tempo, luminosidade, foco manual, lente do projetor, papel 1, papel 2… Agora ficou muito mais simples e fácil e, no meu ponto de vista, tão eficiente quanto o original.

 

Isso tudo para mostrar fotos PxB de destinos, lugares e pessoas que conheci durante viagens e trabalhos de campo pelo Brasil e em outros países.

Anúncios

Igatu

Localizada na Chapada Diamantina, Serra do Sincorá, Município de Andaraí (BA), a pacata Xique-Xique do Igatu foi uma cidade mineira, fonte de diamantes, abandonada quando este se esgotou. Destaca-se como local de interesse em geoconservação da história da mineração do Brasil.

Início da trlha da Rampa do Caim

Mapa Google de localiação da Rampa do Caim

Ruínas de Igatu :: tempo do garimpo ::

Tombada pelo IPHAN, renasce para o turismo científico multidisciplinar: há muita coisa interessante para biólogos, geólogos, geógrafos, historiadores, arqueólogos, sociólogos, estudantes, amadores … quem quiser.

Ruínas de abrigo garimpeiro.

Como em Serra Pelada | PA, ou qualquer outra área de mineração, o que importa é minerar, o resto é perda de tempo. Então o segredo para ganhar dinheiro num garimpo é vender comida ou qualquer outra coisa que possa ser comprada (é só lembrar-se do filme dos Trapalhões na Serra Pelada ou das famosas aventuras do Tio Patinhas na corrida do ouro pelos garimpos de Yukon, Alasca).

 

Eram estes lugares os principais alvos na busca de sedimentos misturados com diamantes.

Igatu é o início da caminhada da Rampa do Caim, lindo caminho que passa por antigas lavras de diamante, abrigos e casas de garimpeiros. E é nítido o tamanho do estrago deixado pelas atividades realizadas há mais de 150 anos.

 

A cor da água é causada pela influência da vegetação, sendo equívoca a sua relação com a presença de "ferro" na água.

Trata-se de uma trilha privilegiada porque se caminha pela parte alta na serra, em altitudes superiores a 900 metros, acima de vales profundos (rios Paty, Paraguaçu, entre outros). As rochas que ilustram grande parte desta trilha são arenito e conglomerados com cerca de 1,5 bilhões de anos (giga anos)

Vista da região chamada Marimbus

Certamente a flora e a fauna originais já não existem mais. As atividades de garimpo e mineração realizadas por lá foram tão agressivas e contundentes que foram revirados quase todos os seixos, grãos de areia, margem de rios e riachos (qualquer curso de água), e conglomerados que pudessem ter um pontinho de diamante.

 

Adam´s inspired

Serra do Sincorá :: uma influência do maestro Ansel Adams ::

Belém, Ver-o-Peso e arredores.

Um lugar interessante para entender o norte do Brasil. Para quem nunca foi, a amazônia é um bom começo. Uma bela porta de entrada ao ambiente onde tudo é medido na Escala Amazônica, grande.

Chuva na Baía de Marajó :: Belém ::

Chuva na Baía de Marajó :: Belém ::

Belém

Belém

Vista aérea do mercado Ver-o-Peso :: Belém :: Pará ::

Não posso deixar de comentar sobre as frutas – e seus respectivos sorvetes  (uxi, cupuaçu, murici, taperebá, bacuri, são tantos…) -, as verduras – mandioca brava, açaí, jambu -, os peixes – filhote, pirarucu, tambaqui, dorada, etc.  Tudo é diferente e novo. A ser descoberto o gosto, o cheiro, a textura, se agrada ou não…

Os pratos típicos: Tacacá, Maniçoba, Pato ao Tucupi acompanhado de jambu (anestesiante) e a pimentinha comari. Aquele calor todo com esses pratos quentes e apimentados é uma combinação maravilhosa e molhada!

Mercado Ver-o-Peso :: Belém ::

Mercado Ver-o-Peso :: Belém ::

Atenção ao histórico prédio do mercado, feito de metal, chapa e estruturas trabalhadas, vindas do Reino Unido no final do século XIX. Resistem um pouco oxidados e sujinhos… é possivel comer, ver o que sai daquele mato, daquela água.

 

 

 

 

Barraca das sementes :: Ver-o-Peso :: Belém ::

Barraca das sementes :: Ver-o-Peso :: Belém ::

Mercado Ver-o-Peso :: Belém ::

 

Seriema ‘Cariama cristata’

Queria mostrar aos leitores uma nova fonte de informação sobre avefauna, isso estava faltando. Escolhi a Seriema porque gosto do canto.

http://www.wikiaves.com.br/

Seriema

O nome Seriema deriva das palavras em tupi “çaria” (= crista) + “am” (= levantada). Ave típica dos cerrados do Brasil, a seriema possui porte imponente e cauda longa.

Siriema::  Cariama cristata ::
Seriema:: Cariama cristata ::

Características

Sua plumagem é cinza-amarelada, com finas riscas escuras: abdomên um pouco mais claro, bico e pernas vermelhos. Tem a crista formada por um tufo de penas longas, com cerca de 12 cm. É uma das poucas aves que possuem pestanas. Atinge uma altura média de 70 cm, podendo chegar a 90 cm de comprimento e pesar até 1,4 kg.

Seu canto é marcante, podendo ser ouvido a mais de 1 km. Seus gritos, seja de uma ave solitária, seja de um casal em dueto, são altos e longos. Parecem longas risadas, as quais vão acelerando-se e aumentando de tom à medida que a ave repete o canto. Pode permanecer gritando por vários minutos a fio.

siriema inteira

Alimentação

Sua alimentação é semelhante a um gavião, comendo desde insetos até pequenos vertebrados. Graças ao hábito de comer cobras, é protegida pelos fazendeiros e sitiantes. Pode ficar acostumada à presença humana e freqüentar os jardins das casas.

Hábitos

Comum em cerrados, campos sujos e pastagens, sendo beneficiada pelo desmatamento. Anda pelo chão, aos pares ou em pequenos bandos. Se perseguida, foge correndo, deixando para voar somente se muito pressionada, chegando a atingir velocidades superiores a 50 km/h antes de levantar vôo.

Para ouvir o canto da Seriema, siga o link para o site do Wikiaves,  excelente canto, um clássico brasileiro.

abre a boca siriema
Siga o link para ouvir o cantar da seriema.

Distribuição Geográfica

Presente em áreas abertas desde o Maranhão e sul do Pará até o oeste do Mato Grosso; ausente em áreas amplamente florestadas da Amazônia. Encontrada também na Bolívia, Paraguai, Uruguai e Argentina.

Referências

http://www.wikiaves.com.br/seriema

Acesso 07 de novembro de 2009

Estrada Real e Niemeyer

Estava pensando em como apresentar a Estrada Real de uma forma diferente.

Estrada a qual me refiro é aquela que era utilizada durante o período colonial para transportar metais e outros produtos de valor para o Rio de Janeiro, Paraty… mar e depois: Portugal. Entre o natal e o ano novo de 2008 para 2009, percorri cerca de 3.000km entre  SP-Paraty/RJ-Diamantina/MG- SP.

Um caminho com legado histórico e cultural único, arquitetura colonial e moderna, culinária fantástica (costelinha com canjiquinha ou lombo com broto de samambaia), pedras preciosas e ladeiras, muitas ladeiras…

Mapa Estrada Real

Mapa Estrada Real :: http://www.estradareal.org.br ::

Mas ao invés de descrever o colonial barroco e as montanhas, quero destacar cada obra do Niemeyer que apareceu na frente da minha lente durante a jornada pela Estrada Real.

:: Paraty ::

:: Paraty ::

Saímos de Paraty e até ali, nenhum Niemeyer. Topamos o primeiro em Belo Horizonte: a Igreja da Pampulha … não tirei mais fotos pois havia uns cavaletes que atrapalhavam o enquadramento.  Isso porque era véspera de ano-novo, e haveria uma baita festa à noite, fogos e o escambau… mas choveu! Foi isso mesmo, choveu e muito.

Belo Horizonte :: Minas Gerais :: Brasil

BH: Igreja São Francisco, Pampulha, Niemeyer

Em Belo Horizonte, tirei algumas fotos de prédios na Praça Liberdade.

Praça da Liberdade :: Belo Horizonte ::

Praça da Liberdade :: Belo Horizonte ::

Vista do Grande Hotel Ouro Preto

Vista do Grande Hotel Ouro Preto

O Grande Hotel de Ouro Preto, localização ótima. Fico sempre que posso e recomendo. No hall há um grande desenho a carvão deixado como lembrança pelo artista.

E por fim, Hotel Tijuco em Diamantina, para mim uma das melhores cidades de todas de todo o caminho, perde somente para Serro. Em Serro não tem nenhum Niemeyer, mas como foi a melhor, resovi coloca-la nesse post.

Hotel Tijuco :: Diamantina ::

Hotel Tijuco :: Diamantina ::

Diamantina, ou Arraial do Tijuco, terra de diamante, Chica da Silva, Eschwege, da Formação Galho do Miguel (em homenagem ao Prof. Quimeneu) do final ou início de Estrada Real.  E que tem um monte de obras do Niemeyer para ver no caminho!

O Cerrado

O Sertão, centro-oeste: cerrado, escarpas de arenito, veredas, cavernas, pinturas rupestres, rios cristalinos, frutas únicas, pássaros, buritis, cristais de quartzo …  Sem dúvida nenhuma, compõem um dos cenários mais brasileiros de todos.

Apresento algumas fotos, e até um vídeo, que fiz durante minhas andanças por ‘cerrrados’ brasileiros.

Buritizal

Burutis de uma vereda, cenário de cerrado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Araras sobre o buritizal. Goiás.

Voo de araras em uma vereda no cerrado de Goiás.

 

Algumas informações sobre o Bioma Cerrado:

  • Ocupa 24% do território nacional, pouco mais de dois milhões de quilômetros quadrados; restam 61,2% desse total.
  • É a segunda maior formação vegetal brasileira depois da Amazônia, e a savana tropical mais rica do mundo em biodiversidade.
  • Concentra nada menos que um terço da biodiversidade nacional e 5% da flora e da fauna mundiais.

(extraído do site da Embrapa, 2009, http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/Abertura.html)

 

Arenito Urucuia

Escarpas de arenito em veredas de Góias

Há inumeras cavernas em cerrado, locais onde há ocorrência de rochas carbonáticas e feições cársticas, como o exemplo das Cavernas do Parque Estadual de Terra Ronca – PETER – Goiás.  Recomendo a visita ao local para pessoas que busquem um contato mais íntimo com a natureza.

Terra Ronca 2

Dolina colapsada cortando o conduto da caverna Terra Ronca 2.

Lindas cavernas que exigem um pouco mais de fôlego e algumas que necessitam cordas e outros equipamentos de segurança. Nem pensar em ir sozinho, contrate sempre um guia local.

Fornos de carvão

Fornos de barro utilizados para tranformar a vegetação nativa do cerrado em carvão vegetal.

Infelizmente nem tudo são rosas, há destruição no cerrado. Plantas frutíferas como a Cagaita, Mangaba, Puçá, Cajuzinho, medicinais como o Barbatimão, Jatobás e muitas outras, patrimônios naturais, são cortadas dentro e fora de áreas de proteção e  tranformadas em carvão e dar lugar à soja.

 

 

 

 

Pesca do Mero

Estaleiro na praia

Estaleiro na praia de Lençóis de Cururupu.

Você alguma vez teve aquele sentimento de querer ir parar em algum lugar totalmente inusitado no mapa?

Algum lugar sobre o qual você não saiba muita coisa, mas que naquele pedaço de papel parece ser muito interessante e promissor. Bem, eu já tive esta “sensação” muitas vezes, mas consegui por em prática esta impulsão algumas poucas vezes.

Estaleiro na praia

Nascer do sol em Lençóis de Cururupu

Uma delas foi quando, viajando com um grande amigo, descobrimos a Baixada de Tutóia, localizada nas Reentrâncias Maranhenses… e tentamos chegar na mística Ilha de Lençóis de Cururupu.

Mapa de localização da Ilha de Lençóis de Cururupu.

By Google.

Ao mover o zoom, poderá ver como é entrecortado e irregular o litoral entre a cidades de São Luis e Belém. Detalhes nos canais estuarinos de escoamento da gigantesca amplitude de maré  que enche e “vaza” os Apicuns e manguezais da região.

Local onde as lendas sobre o sumiço e o retorno de Dom Sebastião se misturam com lendas indígenas e africanas, contadas por pescadores tradicionais albinos, em uma duna nos arredores da vila … que deve ter uma centena de habitantes, casas de madeira e palha, ruas de areia, campo de futebol cheio de buracos de caranguejos e um poço de água incrivelmente potável distribuída manualmente por mulheres e crianças.

Para chegar a Ilha dos Lençóis do Cururupu, Maranhão, pegamos carona na ‘nave mãe’ de pescadores de Mero. Este pessoal estava a caminho da Ilha para passar a temporada pescando (em barquinhos menores) Meros, até encher o porão lotado de gelo.

Grande Mero

Provavelmente o maior Mero pescado na temporada, 200kg.

Muita história e estórias se passaram nestes 15 dias em que ficamos juntos, porque no final das contas não havia outra companhia na ilha e passamos a testemunhar o cotidiano desses homens do mar, que ainda utilizam métodos e equipamentos rudimentares de pesca.

Importante saber que a pesca deste peixe é hoje proibida no Brasil e que no período em que foram tiradas estas fotos a pesca do Mero ainda era permitida.

Para quem quiser saber mais, o Mero em inglês se chama Goliath Grouper,e seu nome cientifico é Epinephelus itajara.

A seguir, deixo algumas fotos do dia em que fui pescar em alto mar. Sem rádio, bússola, gps (haha),  pouca comida e muito sol.  Saímos da nave mãe as 3hs da manhã. Começaram a soltar o espinhel por volta das 5hs e voltamos para “casa” sãos e salvos por voltas das 18hs … um bela aventura!

Pesca de espinhel

Mero preso no espinhel, sendo puxado para o barco.

Peixe fresco

Peixe recém capturado e puxado para a embarcação.

Almoço

Cabeça de Mero sendo preparada para virar comida.

Para terminar este post, gostaria de mostrar de onde vinha a nossa comida. Como podem imaginar, nessa Ilha não havia restaurantes, lanchonetes, nem nada. Então fomos agraciados pela hospitalidade dos pescadores que dividiram sua única comida de todas as refeições: cabeça, bochecha, e testa de Mero cozida, com farinha.

Bon apetit!