Category Archives: turismo comunitário

Cidade Fantasma do Ararapira

 Cidade Fantasma do Ararapira

 

Ararapira é o nome de um vilarejo histórico localizado no município de Guaraqueçaba, litoral norte do Estado de Paraná.

 

São José do Ararapira foi fundadas pela coroa portuguesa, Capitania de São Paulo, século XVIII.

 

Ararapira localizava-se num ponto estratégico: meio caminho entre Iguape e Paranaguá, passagem obrigatória de todos os viajantes entre São Paulo e Curitiba.

 

Entreposto, Ararapira cresceu e prosperou com o comércio da região até meados do séc 19, enquanto Iguape era um porto mais importante e com mais movimento do que Santos.

 

Nos anos trinta do século XX, a vila, habitada por cerca de 500 famílias, era servida por diversas casas de comércio e diversas padarias. Um motor a diesel fornecia energia

 

No século XX, as estradas pelo interior absorveram todo o tráfego entre São Paulo e Curitiba. E com a abertura do canal do Varadouro na década de 40, a cidade perde muito de sua ‘importancia estratégica’.

 

São José do Ararapira é hoje uma vila abandonada, mas a Festa de São José continua a ser comemorado na pequena igreja e seu cemitério continua sendo usado pelas comunidades da região.

 

Anúncios

Salão do Turismo

Dino coordena mesa sobre Turismo de Base Comunitária.

Projeto Morrinhos.

A Araribá participou do 5º Salão do Turismo convidada pelo Ministério do Turismo para coordenar uma mesa de discussão sobre o turismo de base comunitária. A Araribá engajou-se ativamente neste movimento, realizando pesquisas e desenvolvendo roteiros junto às comunidades tradicionais.

Comunidades Quilombolas

A Araribá esteve presente no 1º Encontro Nacional de Turismo em Comunidades Quilombolas. De 7 a 10 de junho, representantes comunitários, do governo, da sociedade civil, ONGs e empresários reuniram-se em Registro (SP) para discutir as políticas do turismo em comunidades quilombolas com troca de experiências e construção de visão de futuro. Foi muito importante dialogar com estes atores e poder afirmar nossa proximidade e real intenção de participar ativamente da história do turismo de base comunitária no país.