Geologia na Calçada: turismo educativo no centro de São Paulo.

Como início das atividades, gostaria de contribuir com o turismo em São Paulo, mais precisamente no “centro velho”, ou  “cidade” como chamam os mais velhos.

A localização do escritório da Araribá na rua Barão de Itapetininga | República não é ocasional, mas totalmente intencional. Além das razões econômicas, transporte, fornecedores, identificação, etc, o Centro (o verdadeiro e oficial centro da cidade) pode ser encarado, observado e utilizado como museu a céu aberto de arquitetura, geologia, história e muitos outros temas.

Caixa Econômica Federal

Desenvolvemos roteiros de estudos, em aulas práticas e não formais, de matemática, geografia, história, literatura e física em pleno Centro Histórico de São Paulo devido a magnitude de objetos, locais, edifícios, galerias, lojas, museus, escolas, bibliotecas, ruas, calçadões, teatros, pontes e viadutos.

Como début destes roteiros diferentes apresento o artigo a seguir, resultado de um trabalho de formatura e de uma obsessão: rochas ornamentais utilizadas em edifícios, prédios, monumentos, calçadas, ou qualquer instalação que seja trabalhada em ROCHA.

Arenito Itararé

Ampliações do arenito glacial Itararé (normal, 10x e 300x)

A seguir o resumo, mapa do Roteiro e link para o pdf (site da UFPR)

Resumo

Rochas ornamentais têm sido o principal material de construção desde o passado mais remoto. Antigas civilizações empregaram estas rochas na construção de fortalezas, pontes, templos, castelos, palácios, casas e muralhas. Tais monumentos, muitos deles hoje em ruínas, constituem não somente o registro histórico de antigas culturas, mas também é fonte de informações sobre as tecnologias e condições sócio-econômicas do passado. O uso de rochas na construção apresenta um aspecto prático: são materiais naturais, duráveis, de fácil obtenção e que podem ser trabalhados em formas e dimensões específicas. A escolha é baseada essencialmente no seu aspecto estético (artístico), relevando-se as suas características geológicas, tais como composição química e mineralógica, texturas e estruturas primárias e secundárias, fatores esses  condicionantes das propriedades físicas e de fundamental importância para o seu desempenho tecnológico. Neste trabalho é proposto um roteiro geológico que tem como objetivo a observação de rochas ornamentais usadas na construção de monumentos históricos e fachadas de edifícios do centro da Cidade de São Paulo. Ele nos remete ao passado e permite examinar os principais tipos de rochas empregadas no contexto dos diferentes períodos históricos, econômicos e sociais da cidade.

roteiro sp

Roteiro geológico pelos edifícios e monumentos históricos do centro da cidade de São Paulo. Stern, Riccomini, Fambrini e Chamani (2006).In: Revista Brasileira de Geociências, volume 36, número 4. São Paulo. Brasil.

Para baixar o arquivo pdf na íntegra, basta seguir o link:  http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/rbg/article/view/10995/7417

One response to “Geologia na Calçada: turismo educativo no centro de São Paulo.

  1. delícia de roteiro, meu! bela contribution. bjs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s